II Workshop Municipal de Educação Inclusiva trabalha a inclusão escolar da Educação Infantil ao Ensino Superior

Iniciado no Instituto Padre Luís Cecchin (IPLC) na noite da última quarta-feira (24), com a palestra “Os direitos previdenciários da pessoa com deficiência”, ministrada pelo assessor jurídico da Secretaria de Educação e Esportes, Luís Roberto Burégio, o II Workshop Municipal de Educação Inclusiva prosseguiu com oficinas na Faculdade de Ciências Aplicadas de Limoeiro (Facal),nesta quinta-feira (25), em horário integral, e nesta sexta-feira (26), pela manhã. A didática dos oficineiros e a dinâmica das aulas foram amplamente elogiadas pelos participantes. O tema abordado no evento foi a Inclusão escolar na prática da Educação Infantil ao Ensino Superior.

A coordenadora do Departamento de Educação Especial de Limoeiro, Ineuda Pereira, fez um balanço muito positivo do Workshop. “Nosso propósito é mostrar à sociedade limoeirense, e também ao Estado, o quão importante é o trabalho da inclusão social. Nós, enquanto professores e gestores, devemos facilitar o processo de aprendizagem dos alunos e lhes proporcionar dias melhores. A inclusão só acontece quando o educador percebe que tem de adaptar sua didática às necessidades dos alunos. Quando você não consegue lidar com a deficiência do outro, a deficiência, na verdade, está em você. Nossa gestão acredita em um Limoeiro melhor e em uma Educação mais humana, e nós estamos fazendo acontecer”, salientou.

Responsável pelo setor de Educação Especial da Gerência Regional de Educação do Vale do Capibaribe (GRE Vale do Capibaribe), a professora Marileide Silva destacou a repercussão da iniciativa promovida pela Prefeitura Municipal de Limoeiro, através da Secretaria de Educação e Esportes. “Percebemos que a comunidade escolar e a sociedade civil de Limoeiro e das cidades circunvizinhas vieram em massa, pois queriam conhecer melhor o trabalho da inclusão, e abraçaram a causa. Toda esta troca de experiências, através do lugar de escuta e do lugar de fala, gera um debate muito rico. Uma casa boa para morar é aquela construída em uma base sólida. Assim é a Educação: se você trabalha bem a base, os alunos irão ao Ensino Médio mais firmes e mais seguros de si e vão se sentir mais contemplados quando chegarem ao ambiente universitário”, disse.

Entre os alunos das oficinas estava a professora Joseane Melo, da Escola Municipal Aluísio de Aquino, do distrito de Ribeiro do Mel, em Limoeiro.“Para levarmos a inclusão à sala de aula, nós devemos nos preparar como profissionais para lidarmos com alunos portadores de necessidades especiais. Seu m aluno tem dificuldades de aprender porque possui algum transtorno, devemos traçar estratégias para que ele avance em seu processo de aprendizagem. Por outro lado, se essa dificuldade decorre de problemas no processo de alfabetização,as estratégias já serão outras. Eu trabalho no campo da Educação Especial e amo o que faço. Me especializei em Psicopedagogia, tanto a clínica quanto a institucional, e atualmente estou me especializando em Neuropedagogia. Dessa forma, posso ser mais útil na vida das pessoas. Na escola onde trabalho,convivo com 17 alunos especiais, dentre os quais estão crianças com deficiência auditiva, intelectual, mental, entre outras”, comentou.

Por sua vez, a professora da rede pública municipal de ensino de Surubim, Christiane Santos, definiu o II Workshop Municipal de Educação Inclusiva de Limoeiro como um “evento grandioso”. “Nós ensinamos, mas também somos ensinados. A partir do momento em que buscamos mais conhecimentos, nós fornecemos melhores conteúdos aos nossos alunos e, assim, as escolas onde atuamos só terão a ganhar”, concluiu.

O cronograma completo dos cursos oferecidos pelo Workshop pode ser visto aqui.

Fotos: Eduarda Santana/Secretaria Executiva de Imprensa e Comunicação

Compartilhe

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support